Pós-quarentena: o retorno às lojas e escritórios

Pós-quarentena: o retorno às lojas e escritórios - Local Confiável

Os consumidores que no início da pandemia aderiram às compras online agora mostram interesse em voltar a frequentar lojas físicas, desde que alguns protocolos sejam respeitados. Além disso, devido às medidas de isolamento social ocasionadas pela pandemia, o trabalho remoto se impôs para muitas empresas como uma necessidade, mas agora o retorno aos escritórios está sendo gradual.

O retorno dos consumidores às lojas físicas

Local Confiável | Pós-quarentena: volta às lojas e aos escritórios

A nova etapa da pandemia está sendo marcada pelo retorno dos consumidores às lojas físicas. Segundo pesquisa realizada pela Global Web Index, 44% dos consumidores consideram higiene e medidas de segurança primordiais para irem a uma loja efetuar uma compra, seguido de pagamento mais rápido. O uso de aplicativos e de meios de pagamento sem contato também chama a atenção dos consumidores.

Oferecer além das medidas de segurança e apostar em novas experiências de compra é uma forma de entusiasmar os consumidores a irem às lojas. Dessa maneira, pode ser que suas chances de vender aumentem em comparação com as vendas online.

Cenário atual nas empresas

Muitas empresas demonstraram interesse em manter a modalidade de trabalho à distância, como é o caso da Microsoft, que deu a seus funcionários a opção de escolher entre trabalhar de modo parcial ou integralmente remoto após a pandemia. Mas há também uma grande parte das empresas que prefere manter o trabalho presencial.

A consultoria imobiliária Cushman&Wakefield realizou uma pesquisa com 158 executivos que estão à frente de empresas, de diferentes setores, que possuem entre 100 e 5 mil funcionários e que ocupam áreas de escritórios que vão de 250 m² a 5.000 m². Segundo os dados levantados, o cenário atual indica que as empresas estão retornando gradualmente à rotina de trabalho presencial nos escritórios e que o home office não continuará sendo adotado por todas. Confira abaixo mais alguns dados importantes dessa pesquisa:

  • 84% das empresas que ocupam escritórios de alto padrão já retornaram gradualmente ou pretendem retornar até o fim deste ano a seus espaços físicos.
  • 59% das empresas não têm intenção de reduzir ou não conseguem afirmar se futuramente reduzirão o tamanho de seus escritórios.
  • 56% dos entrevistados informaram que suas empresas não adotavam o trabalho remoto, mas passaram a adotar na pandemia e manterão um modelo híbrido daqui para a frente.
  • Para 41% dos executivos, o modelo à distância não afetou a produtividade de seus funcionários.
  • 27% dos entrevistados afirmaram que houve um aumento da produtividade em suas empresas.

Aumento da demanda por lajes corporativas e escritórios

Especialistas avaliam que as lajes corporativas e os escritórios de alto padrão têm potencial de crescimento, mesmo após terem sido penalizados este ano devido à crise e ao home office. Os ambientes de trabalho presencial oportunizam a convivência entre a equipe e são essenciais para a criatividade dos colaboradores, além de favorecerem a troca de experiências e a assistência aos recém-chegados com pouca vivência profissional.

O mercado está otimista e com a expectativa de que nos próximos meses a situação sanitária e o ambiente de negócios melhorem.

Entre março e julho deste ano, edifícios das classes A e B localizados nas principais regiões de negócios de São Paulo registraram uma alta de 68% na ocupação de lajes corporativas em comparação ao mesmo período do ano passado.

A adoção do home office não significa o fim dos escritórios ou dos ambientes de trabalho presencial. Segundo a pesquisa da Cushman&Wakefield, 91% dos empresários entrevistados afirmaram ter sofrido algum impacto econômico devido à crise sanitária e essa foi a principal razão da devolução dos escritórios.

Além disso, as empresas sentem a necessidade de ter espaços maiores de trabalho. Com os protocolos de segurança e distanciamento, os mesmos espaços que as empresas tinham antes passam agora a comportar menos profissionais trabalhando simultaneamente.

Pensando na saúde dos colaboradores e na volta segura aos escritórios, a startup Local Confiável desenvolveu protocolos sanitários e de segurança personalizados para cada tipo de segmento.

Por meio de um QR Code aplicado a todos os setores do escritório, os colaboradores e visitantes terão acesso a uma landing page exclusiva da empresa, na qual poderão fazer comentários ou alertas relacionados aos protocolos de higiene adotados (ou não) pelo estabelecimento, tudo de forma anônima.

Para o comércio, o Selo Local Confiável funciona da mesma maneira. Criado para garantir que as boas práticas sanitárias sejam seguidas corretamente, com a certificação via QR Code é possível deixar os clientes mais seguros para voltarem à loja física e realizarem suas compras.

Leia também: Empresários encaram desafios de retomar rotina nos escritórios após período de home office

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.